Lula exige investigação sobre morte de seu apoiador “para vê se tem ordem política e se é estratégia de política”

Lula exige investigação sobre morte de seu apoiador “para vê se tem ordem política e se é estratégia de política”

Lula exige investigação sobre morte de seu apoiador “para vê se tem ordem política e se é estratégia de política”

O ex-presidente Lula, do PT, reagiu nesta sexta-feira, 09, ao assassinato de um apoiador de sua candidatura pelo bolsonarista no Mato Grosso após discussões políticas.

O defensor de Jair Bolsonaro, do PL, Rafael de Oliveira matou Benedito Cardoso dos Santos em Confresa, a 1.160km de Cuiabá, entre a noite desta quarta-feira (07) e a madrugada desta quinta-feira (08).

O infrator passou por audiência de custódia e um juiz do estado de Mato Grosso manteve a prisão preventiva. Rafael admitiu ter esfaqueado o colega até a morte, segundo a polícia. Ele até tentou decapitar suas vítimas e fotografou os corpos após o crime.

“Não é a primeira campanha de que a gente participa, e nunca teve violência. Nossa orientação é: após o comício, vão para casa. Não temos a cultura da violência, da ignorância política, da antidemocracia. Isso aconteceu agora, em 2018 e neste ano, e não é da nossa parte”, comentou Lula, numa entrevista coletiva no Rio de Janeiro.

Bolsonarista
Foto: Reprodução

O mesmo, pede apoio da Justiça Eleitoral, para que não deixe um caso tão sério como esse, sem a punição devida. “para ver se isso tem ordem, se tem orientação, se é estratégia de política”. Para Lula, não pode-se deixar que está violência se perpetue ou impacte em sua campanha.

“Vamos continuar falando o que falamos, fazendo o que fazemos, fazendo nossos comícios, sem nenhuma preocupação. Queremos uma campanha de paz. O que nos interessa é que no dia 2 [de outubro] a gente tenha o resultado da eleição. E que estejam todos os brasileiros vivos.”

Em suas redes sociais, o ex-presidente coloca em suas redes sociais uma nota de pesar para seu apoiador morto: “É com muita tristeza que soube da notícia do assassinato de Benedito Cardoso dos Santos, na zona Rural de Confresa. A intolerância tirou mais uma vida. O Brasil não merece o ódio que se instaurou nesse país. Meus sentimentos à família e amigos de Benedito”.

Pela manhã, Lula iniciou um novo capítulo de sua campanha focado no apelo aos eleitores evangélicos. O petista também deixou claro que queria vencer no primeiro turno das eleições durante encontro com dezenas de lideranças do departamento em São Gonzalo, no RJ. Ele lutou ao lado de seu deputado Geraldo Alckmin, do PSB, e do candidato do PSB do governo do Rio de Janeiro Marcelo Freixo, entre outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Radar do Sertão surgiu como uma nova forma de se comunicar no nordeste. Todos os dias você terá notícias da sua região.

Nos siga

© 2022 Radar do Sertão. Todos os direitos reservados.