Segunda fase de operação da Policia Federal começa em Pernambuco que mira organização criminosa

Segunda fase de operação da Policia Federal começa em Pernambuco que mira organização criminosa

A Polícia Federal, PF, entra na segunda fase de sua operação em Pernambuco. Desta vez, flagrou nesta quinta-feira (20), a operação Desmame III, que tem a proposta de acabar com organizações criminosas voltadas à prática de fraudes, desvio de dinheiro e lavagem de capitais. Esta operação, tem ao todo 22 policiais federais que cumprem os mandados de busca e apreensão expedidos pela 25° Vara Federal da Subseção Judiciária de Goiana, na capital, Recife, a região Metropolitana e Timbaúba, na Mata Norte.

Policia Federal: Operação em Pernambuco

Policia Federal: A operação se baseia pelos anos de 2013 a 2016, em que houve fraude nos processos licitatórios, realizados pela prefeitura de Timbaúba, que tinha a intenção de comprar medicamentos e materiais odontológicos e hospitalares com recursos destinados ao Sistema Único de Saúde, o SUS.

Segunda fase de operação da Policia Federal começa em Pernambuco que mira organização criminosa
Foto: PF – SE

Foram observado que, inicialmente, sete das licitações para este fim, seis foram vendidas pela mesma empresa, a qual apresentou preços de até 50% mais baratos que os preços oferecidos pelos editais de publicação do certame, conseguindo um montante de R$ 7.916.744,00.

Além dessa contraditória nos valores, foi observado vários indícios de fraude com caráter competitivo. A operação, conseguiu encontrar diversos vínculos entre empresas fraudulentas e políticos do município contratante, com a existência de movimentações financeiras milionárias entre empresas do grupo econômico e dos políticos envolvidos, com a distribuidora de medicamentos contratada pela prefeitura de Timbaúba – PE.

Com o final da primeira fase da operação Desmame, que foi ocorrida no dia 3 de fevereiro de 2021, foi possível reforçar as provas, o que deu mais forças para os indícios de utilização de pessoas interpostas para fins de ocultação de vantagens ilícitas, que eram feitas através da organização criminosa, o que gera um prejuízo aos recursos públicos desta cidade. Todos aqueles que forem indiciados por essa operação, irão responder pelos crimes de fraude à licitação, falsidade ideológica, peculato, lavagem de capitais e organização criminosa, sempre dependendo do grau de participação nos fatos apurados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O Radar do Sertão surgiu em 2020 como uma nova e inovadora fonte de informações confiáveis do estado de Pernambuco. Todo dia você terá notícias importante sobre a sua cidade. O Radar do Sertão veio para ficar e se definir o novo patamar de informações.